22.381.212 IGREJA DOS REIS MAGOS
FENAIS DA AJUDA • RUA DA IGREJA
EDIFÍCIO ISOLADO
ARQUITECTURA RELIGIOSA
ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO INICIAL: SÉC.XIX
DESCRIÇÃO: Igreja implantada numa plataforma nivelada que inclui um adro murado.
É composta pelo corpo principal, que corresponde às naves, o corpo mais estreito da capela-mor, os dois corpos das capelas colaterais, os dois volumes da sacristia, o baptistério, a torre sineira e um anexo de apoio.
A fachada do corpo principal está dividida por pilastras em três secções e horizontalmente por uma cornija. Cada uma das secções tem, na parte inferior, uma porta encimada por uma janela. As portas têm as molduras ladeadas por pilastras e encimadas por uma cornija onde assentam dois pináculos. Acima de cada porta há uma concha em relevo. As janelas têm a moldura ladeada por pilastras apoiadas em mísulas. As cornijas das janelas estão integradas na cornija que divide a fachada. A parte superior da fachada corresponde ao frontão que também está dividido em três secções pelo prolongamento das pilastras. As secções laterais são aletas delimitadas por volutas que amparam a secção central. Na parte inferior das aletas há um elemento decorativo em relevo. A secção central é rectangular e é rematada superiormente por uma cornija encimada por um frontão mais pequeno. No rectângulo da secção central há uma janela semelhante às outras janelas da fachada. O frontão pequeno é delimitado por duas volutas que elevam uma cruz, em cuja base há uma cartela, com a data "1843", sob uma concha decorativa. No tímpano do frontão pequeno há um elemento decorativo (resplendor?/estrela?) sobre uma cartela com a inscrição "B.G.B.". Os cunhais e as pilastras da fachada são encimados por pináculos.
Ao lado esquerdo da fachada principal, ligeiramente recuado, fica o corpo do baptistério, de um só piso, com uma janela com as mesmas características das da fachada principal.
Ao lado direito situa-se a torre sineira, também ligeiramente recuada, dividida em dois níveis por uma cornija: no nível inferior, mais alto, tem três janelas (semelhantes às da fachada principal mas mais pequenas) alinhadas verticalmente; no nível superior tem os vãos dos sinos que são rematados em arco de volta inteira e têm as ombreiras prolongadas inferiormente até à cornija. A torre é rematada superiormente por uma balaustrada encimada por pináculos nos ângulos.
O interior do corpo principal divide-se em três naves por meio de duas fiadas de cinco arcos de volta inteira assentes em pilares quadrangulares com capitéis e plintos salientes. Tanto os arcos como os pilares têm as arestas chanfradas. No primeiro tramo das três naves há um coro alto que intersecta os primeiros arcos. Tem uma consola contracurvada, protegida por uma balaustrada de madeira, que avança sobre a nave central. No mesmo tramo, mas ao nível térreo, na parede do lado do evangelho, situa-se a porta de acesso ao baptistério, com um gradeamento de madeira. Do lado da epístola fica a porta, mais pequena, de acesso à torre sineira e, através desta, ao coro. Nos terceiros pilares a contar da entrada há um púlpito em consola, com guarda em balaústres de madeira, acessível por uma escada em pedra, sem guardas, que envolve os pilares. Em cada uma das paredes das naves laterais situam-se, sucessivamente, e em correspondência com os tramos: um retábulo, uma porta de entrada lateral, um altar com retábulo e um arco com porta gradeada, em madeira, de acesso à sacristia, do lado do evangelho, e ao anexo de apoio, do lado da epístola. O arco triunfal e os arcos das colaterais, de volta inteira, estão revestidos com talha dourada e escaiolada. Cada capela da cabeceira tem um retábulo na parede do fundo. De cada lado da capela-mor há um cadeiral de madeira pintada de preto. As coberturas das naves e das capelas da cabeceira são em abóbada (ou em falsa abóbada) de berço. O corpo das naves, o baptistério e a capela-mor têm um lambril de azulejos, recente, que revive vagamente algumas características neoclássicas. Todos os retábulos são em talha revivalista pintada, parcialmente dourada ou escaiolada. As naves são iluminadas pelas janelas da fachada principal, por quatro janelas nas fachadas laterais e por uma janela sobre cada um dos arcos das capelas colaterais. Acima do arco triunfal, junto ao tecto, há uma janela com um vitral colorido. Do lado de dentro do guarda-vento que protege a porta principal, junto ao tecto, encontra-se um relevo com a data "1902".
O edifício é construído em alvenaria de pedra rebocada e pintada de branco, excepto os arcos internos, as consolas e as escadas dos púlpitos, o soco, os cunhais, as pilastras, as cornijas, as molduras dos vãos, a balaustrada, os pináculos e os elementos decorativos que são em cantaria à vista. As coberturas são em telha de meia-cana tradicional, com beiral simples, sendo de duas águas no corpo principal, na capela-mor e no corpo do vestíbulo da sacristia, de três águas no baptistério e de uma água nos restantes corpos.
ELEMENTOS DATADOS: Inscrição numa cartela na base da cruz de remate da fachada: "1843". Inscrição do lado de dentro do guarda-vento: "1902".
ESTADO DE CONSERVAÇÃO: Bom
FUNÇÃO INICIAL: Igreja
FUNÇÃO ACTUAL: Igreja paroquial
BIBLIOGRAFIA E DOCUMENTAÇÃO DE REFERÊNCIA: "Noticia sobre as igrejas, ermidas e altares da Ilha de S. Miguel", Ernesto do Canto, Insulana, vol. LVI, Instituto Cultural de Ponta Delgada, Ponta Delgada, 2000; A Ribeira Grande, Ventura Rodrigues Pereira, 3ª edição, s./l., s./d.; Arquitectura Popular dos Açores, AAVV, Ordem dos Arquitectos, [Lisboa], [2000].
DATA DE LEVANTAMENTO: 2003-03-01
< anteriores





mapa: 381
São Miguel, Ribeira Grande
Inventário do Património Imóvel dos Açores
Última actualização em 2008-02-08