11.24.102 CONVENTO DE SÃO FRANCISCO
VILA DO PORTO • VILA DO PORTO
EDIFÍCIO ISOLADO
ARQUITECTURA RELIGIOSA
IMÓVEL DE INTERESSE PÚBLICO
(Decreto nº251/70, de 31 de Junho)
ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO INICIAL: SÉC.XV/SÉC.XVII
 

DESCRIÇÃO: O complexo do antigo convento de São Francisco é constituído, da esquerda para a direita da fachada principal, pela parte conventual, organizada em torno de um claustro quadrangular, pela torre sineira, edificada sobre a portaria do convento, pela Igreja de Nossa Senhora da Vitória e pela Capela dos Terceiros. Adossada à fachada lateral direita da igreja encontra-se, além da Capela dos Terceiros, uma sucessão de volumes construídos que inclui uma capela lateral que abre para a nave da Igreja de Nossa Senhora da Vitória (Capela de Santo António) e a Capela do Santo Sepulcro que abre para a respectiva capela-mor.
A parte conventual tem dois pisos. As galerias do piso inferior do claustro são cobertas com abóbadas de arestas e abrem-se para o pátio claustral, em cada um dos lados, através de quatro arcos abatidos apoiados em pilares de secção quadrada, excepcionalmente baixos e largos, com plintos, bases e capitéis salientes. No piso superior, fechado, há uma janela de peito a eixo de cada um dos arcos do piso térreo (todas aparentam ter sido de sacada). As galerias do piso superior do claustro são cobertas com abóbadas de berço que se cruzam nos ângulos formando arestas. No pátio claustral existem algumas espécies arbóreas e uma cisterna descentrada com a data de “1680” num dos lados.
A torre sineira, de planta quadrangular, está dividida em três pisos. No piso térreo, correspondente à portaria, tem um vão com arco de volta perfeita sobre impostas. Ao nível do piso intermédio situa-se um vão com verga curva, encimada por cornija, cujas ombreiras se prolongam até às faixas separadoras dos pisos (no troço inferior, onde terminam com enrolamentos, estas ombreiras delimitam um avental). O piso superior tem dois vãos (com sinos) rematados em arcos de volta perfeita sobre impostas. É encimado por faixa, cornija e balaustrada com pináculos.
A igreja tem planta rectangular e nave única e, actualmente, tecto de três esteiras. A capela-mor, igualmente rectangular mas mais estreita, tem uma cobertura em abóbada de berço abatido e um nicho com moldura de pedra na parede do fundo. Na parede da nave do lado da epístola abre-se a Capela de Santo António que está revestida com azulejos de tapete seiscentistas (azul, amarelo e branco) onde se inserem dois painéis figurativos, um em cada parede lateral, representando episódios da vida de Santo António. O fundo da capela é preenchido por um retábulo de talha de “estilo nacional”, pintada, onde predominam o verde água e o amarelo. O tecto é de três esteiras. Tanto o arco de comunicação da igreja com esta capela como o arco triunfal são de volta inteira. Na parede da igreja do lado da epístola, à direita do arco de comunicação com a Capela de Santo António, existe uma lápide com a inscrição “CAPELA D / AS ALMAS FV / DOV O CAPITAÕ MA / NOEL CVRVELO DA / COSTA E SVA MER MA / IACOME. 1652.”. Na parede do lado do evangelho encontra-se um púlpito rectangular, com guarda de madeira (bilros) sobre consola de pedra. Na mesma parede vê-se ainda a porta do antigo coro-alto, um arco de volta inteira (destinado a um altar?) e uma grande pia de água benta. Nos pavimentos da Capela de Santo António e da capela-mor da igreja existem pedras tumulares. A Capela do Santo Sepulcro, sendo uma propriedade particular, tem o vão de comunicação com a igreja actualmente entaipado. É um espaço de planta rectangular que tem, na parede do fundo, um retábulo de talha dourada expressamente adquirido e aí colocado em 1822, data em que foram realizadas obras de reabilitação. O corpo da capela está envolvido exteriormente por um estreitíssimo pátio separado da rua por um muro muito alto onde se encontra a porta de acesso. A igreja tem comunicação interna com a Capela dos Terceiros. Esta capela tem um retábulo de talha dourada de “estilo nacional”, com a tribuna vazia, inserido no fundo de uma armação de talha que simula uma capela-mor. O tecto é de três esteiras. Na parede do lado da epístola tem um arco abatido (destinado a um altar?) que corresponde a uma ligeira saliência na parede exterior.
A fachada da igreja tem a porta axial, de verga recta, encimada por uma janela com verga curva. Ambos os vãos são encimados por pequenas cornijas na verga e por cornijas maiores um pouco mais acima. Por cima da janela situa-se ainda um relevo com o símbolo dos franciscanos enquadrado por uma pequena moldura com verga curva. As três molduras e as cornijas estão ligadas entre si pelo prolongamento das ombreiras da janela. Tanto a igreja como a Capela dos Terceiros são encimadas por cornijas que acompanham a inclinação das águas dos telhados, com pináculos nos extremos.
As fachadas estão unidas pelo cunhal/pilastra comum e por um troço de fachada triangular rematado por uma cornija inclinada. Os topos de ambas as cumeeiras, sobre as fachadas, são rematados por cruzes de pedra sobre bases do mesmo material. A fachada da Capela dos Terceiros tem também uma porta axial encimada por uma janela, ambas de molduras simples com vergas rectas.
Todo o complexo é construído em alvenaria de pedra rebocada e caiada, com excepção dos socos, dos cunhais, das faixas, das pilastras, dos pilares, dos arcos, das cornijas, da balaustrada, dos pináculos, das molduras, etc. que são em cantaria à vista. As coberturas são predominantemente de duas águas, em telha de meia-cana tradicional, rematadas por beiral duplo.

ELEMENTOS NOTÁVEIS: Todo o piso térreo do claustro e a Capela de Santo António (e a respectiva placa com inscrição situada na parede da igreja).
ELEMENTOS DATADOS: Inscrição no pavimento da actual entrada da Câmara Municipal situada mais à esquerda na fachada do conjunto: “1880”; inscrição num dos lados da cisterna: “1680”; inscrição na lápide que fica na parede da igreja do lado da epístola, junto à Capela de Santo António: “1652”.
ESTADO DE CONSERVAÇÃO: Razoável
FUNÇÃO INICIAL: Convento
FUNÇÃO ACTUAL: Paços do concelho, serviços
BIBLIOGRAFIA E DOCUMENTAÇÃO DE REFERÊNCIA: Ficha 28/Santa Maria do "Arquivo da Arquitectura Popular dos Açores"; Fichas A-27 e 28 do "Inventário do Património Histórico e Religioso para o Plano Director Municipal de Vila do Porto"; Fichas 196 e 197/Santa Maria do "Levantamento do Património Arquitectónico da Vila do Porto", SREC/DRAC.
REMISSÕES: 11.24.97
DATA DE LEVANTAMENTO: 2000-04-06
< anteriores




seguintes >
mapa: 24
Santa Maria. Vila do Porto
Inventário do Património Imóvel dos Açores
Última actualização em 2006-11-06